Análise ao LG G Flex – o ecrã curvo, será o futuro?

O LG G Flex não é apenas mais um smarpthone. É o primeiro do seu género, demonstra que é possível inovar e trazer novos conceitos para a indústria dos dispositivos móveis. Fique a conhecer melhor esta nova aposta da LG.

lg g flex ecrã curvo

 

Mais do que um smartphone, o LG G Flex é um novo conceito, uma nova abordagem aos dispositivos móveis.

As suas principais caraterísticas são o ecrã e a bateria curvos e a capa traseira capaz de se “auto regenerar”. São novidades atrativas, que poderão capaz de despertar o interesse de muitos utilizadores, mas que dificilmente farão do LG G Flex um êxito comercial.

O elevado preço deste dispositivo e a grande concorrência que enfrenta no nicho dos phablets (podemos referenciar modelos como o Samsung Galaxy Note 3 ou o Sony Xperia Ultra Z), são fatores que de alguma forma condicionam a popularidade do G Flex.

Mas vamos olhar mais em detalhe para “rei da flexibilidade”.

Design

Ao olharmos para o LG G Flex notamos desde logo bastantes semelhanças com o LG G2, o que faz sentido se lembrarmos todo o sucesso alcançado pelo G2.

Relembramos que o LG G2 é um modelo lançado no segundo semestre de 2013, que rapidamente se conseguiu impor como uma das melhores opções do mercado em termos de relação qualidade-preço.

Este G Flex herdou algumas caraterísticas estéticas do modelo anterior, como o botão power e os controlos do volume situado na parte traseira do dispositivo.

A opção de ativar o dispositivo com dois toques no ecrã e as configurações do hardware também seguem a linha que a LG havia apresentado no G2.

A principal diferença e também aquela que é mais notória é o ecrã curvo. A maior dimensão do ecrã também é evidente (passou de 5,2 polegadas no G2 para 6 polegadas no G Flex).

A capa traseira deste smarpthone apresenta uma capacidade de autorregeneração, que supostamente permite que o dispositivo recupere de riscos pouco profundos.

Esta é uma caraterística interessante, mas na nossa ótica, o melhor é mesmo evitar testar esta capacidade de autorregeneração.

Nada de ir buscar a chave de fendas à caixa de ferramentas, para ver se “os riscos desaparecem mesmo”.

Até porque o feedback de quem já se atreveu a realizar esse tipo de teste não é o melhor. A capacidade de autorregeneração deste material é limitada, pelo que experiências mais radicais podem produzir resultados negativos.

riscos no lg g flex

Ecrã

O LG G Flex apresenta um ecrã P-Oled curvo, com 6 polegadas. Este ecrã foi desenvolvido exclusivamente pela LG.

O segredo para a flexibilidade deste ecrã reside no substrato de plástico que permite que o ecrã demonstre grande flexibilidade.

Se o formato inovador é entusiasmante, o mesmo não acontece com a sua resolução: apenas 7
68 por 1280 px, com uma densidade de cerca de 245 pp.

Estes valores resultam num grau de pixelização um pouco superior ao que é normal nos equipamentos desta gama.

Pela positiva, a proteção Gorilla Glass 2 que confere ao ecrã um maior nível de durabilidade.

Especificações

Em termos de hardware, o LG G Flex é um dispositivo que transmite confiança. Apresenta um processador quad-core Qualcomm Snapdragon 800 a 2,26 GHz, que lhe confere uma boa capacidade de processamento.

Uma GPU Adrenp 330 e 2 GB de RAM completamente as especificações e conferem uma boa fluidez e capacidade de resposta a este smartphone.

A capacidade de armazenamento é de 32 GB, não permitindo armazenamento, o que pode ser um aspeto negativo para alguns utilizadores.

Câmara

A câmara traseira do LG G Flex apresenta 13 megapixels e tem a capacidade de capturar fotografias com a resolução máxima de 4160×3120 pixels e de gravar vídeos em 1080 e em até 60 fps.

As funções da câmara incluem disparo contínuo, câmara dupla, modo de disparo inteligente, modo panorâmico, etc.

Também são disponibilizados diversos filtros, os quais permitem um melhor desempenho em situações específicas.

Pela negativa, referimos a ausência de estabilização ótica, que tem um grande impacto na qualidade de fotografias tiradas em ambientes com pouca luminosidade.

Segundo a LG, a inclusão de estabilização ótica estava prevista, contudo o módulo era demasiado grande para ser inserido no dispositivo.

Desta forma, o LG G FLex acabou com uma câmara boa, mas que poderia ser ótima.

smartphone lg g flex

Bateria

A bateria do LG G2 é um dos aspetos mais apreciados do dispositivo. Com a bateria de 3.000 mAh, o G2 aguenta facilmente um dia de utilização considerável.

No G Flex, a bateria foi aumentada para 3.400 mAh, o que permite compensar a maior exigência do ecrã de 6 polegadas.

Em termos de duração de bateria reconhecemos o excelente trabalho feito pela LG.

Avaliação Final

O LG G Flex não é um dispositivo para o utilizador comum. É sobretudo uma escolha para quem se deixar apaixonar pela novidade que é poder ter um smartphone flexível.

Em termos de hardware é praticamente idêntico ao LG G2 que apresenta um preço consideravelmente superior.

Este é um dispositivo que vale sobretudo pela incorporação de algumas novidades, mas que ainda está longe de poder conquistar um espaço relevante no mercado.

    Prós

  • Design Inovador
  • Bateria
    Contras

  • Preço
  • Resolução do Ecrã

Foto: Android Authority

Categoria:Análises

Etiquetas:

Um comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigo por: André Alface

Junto à praia há mais tempo para escrever e até a tecnologia ganha outro colorido e outra vivacidade. Encontram-me por aqui, sobretudo a escrever sobre as novidades do mundo Android.