ASAE encerra restaurante remodelado no “Pesadelo na Cozinha” da TVI

(dr) TVI

Chef Ljubomir Stanisic com o dono do O Canela num episódio do Pesadelo na Cozinha da TVI.

Chef Ljubomir Stanisic com o dono do O Canela num episódio do Pesadelo na Cozinha da TVI.

O restaurante “O Canela”, protagonista de um dos episódios do programa “Pesadelo na Cozinha”, emitido pela TVI, foi encerrado pela ASAE por falta de condições, mesmo depois de ter sido alvo de uma remodelação no âmbito do reality show.

Este espaço comercial em Campolide, Lisboa, chocou os espectadores da TVI e o próprio chef Ljubomir Stanisic que conduz o “Pesadelo na Cozinha“, um reality show que visa a recuperação de restaurantes em dificuldades e em más condições.

No “O Canela” a falta de higiene era tão evidente que havia baratas a circular pelas prateleiras e balcões e o dono do espaço usava uma bacia de metal suja, onde caíam os restos de gordura dos canos do esgoto do lava-loiça e onde nadavam baratas e aranhas, para marinar as carnes antes de as grelhar.

Ljubomir Stanisic chegou a dizer, durante o programa, que se o restaurante fosse visitado pelas autoridades, o proprietário iria “preso”, frisando que era um caso de “ataque à saúde pública”.

O programa gravado no restaurante em 2016 foi emitido pela TVI no passado domingo, 9 de Abril, e levou a uma remodelação do espaço, incluindo limpeza e desinfestação.

Mas a visita da ASAE ao restaurante, na passada quarta-feira, levou ao seu encerramento porque “não tinha condições para continuar a funcionar”, salienta uma fonte da Autoridade de Segurança Alimentar à Rádio Renascença.

O dono do restaurante, Manuel Canela, não confirma a visita da ASAE, notando a esta estação que o espaço está fechado “para obras”.

À entrada do estabelecimento está um aviso que indica “Por motivos de imprevisto, contra a nossa vontade, estamos encerrados para alterações no estabelecimento. Obrigada pela vossa compreensão”, conforme transcreve a Renascença.

“Quando o proprietário tiver resolvido as questões que apontámos será feita uma re-inspecção”, afiança fonte da ASAE à Rádio.

A Autoridade de Segurança Alimentar destaca ainda, que procedeu a 56 operações de fiscalização em Lisboa, durante a última semana, o que levou à instauração de um processo-crime, de 32 contra-ordenações e à suspensão da actividade de oito restaurantes, entre os quais “O Canela”.

ZAP //

6 COMENTÁRIOS

  1. Neste caso e a ser verdade o que aqui se relata estou mesmo em crer que a exigência da limpeza ficou a meio pois o proprietário deveria ser proibido de exercer mais tal profissão ou seja limpá-lo dali para fora pois nem que o restaurante venha a ser um luxo em termos físicos o trabalho no seu interior não poderá ser muito asseado gerido por uma pessoa porca.

  2. De facto, mais uma vez conclui-se que as autoridades, as instituições entre outros serviços, só funcionam depois de denunciadas. Na essência é o mesmo que acontecia antes do 25 de Abril de 74 e é lamentável que as coisas só funcionem assim neste país! Faz-me lembrar, por exemplo, um cavalo que só corre depois de ser picado ou depois de levar uma palmada…e assim funciona este país: mal e porcamente mal!

    • A ASAE faz dezenas de inspecções todos os dias. Algumas por rotina e prevenção e muitas por denuncia. E qual é o problema disso. Há algum problema em denunciar um estabelecimento que não cumpre todas as regras de higiene, ou outra actividade comercial qualquer que não cumpra toda a regulamentação ou preste mau serviço ao cliente?
      Já imaginou a dimensão que a ASAE teria que ter para, de forma rotineira e frequente, tivesse que inspeccionar todo e qualquer espaço comercial em Portugal!?
      A cidadania em Portugal parece que passa por comer mal e ficar caladinho!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here