Classe média chinesa ultrapassou a dos EUA

Chinese Tourists / Flickr

-

A classe média chinesa ultrapassou a dos EUA como a maior do mundo, enquanto a Ásia terá a maior expansão deste estrato social nos próximos anos.

Um relatório do grupo financeiro Credit Suisse contabilizou 109 milhões de chineses adultos que pertencem à classe média, um número pela “primeira vez” superior aos 92 milhões de norte-americanos com rendimento médio.

“Como resultado, veremos mudanças nos padrões de consumo e na sociedade, visto que, historicamente, a classe média agiu como um agente de estabilidade e prosperidade”, lê-se no relatório.

A mesma nota refere que a dimensão e a riqueza da classe média é um fator chave do desenvolvimento económico e que este estrato social esteve por várias vezes no coração de movimentos políticos e novas tendências de consumo.

País mais populoso do mundo, com quase 1,4 mil milhões de habitantes, a China representa 10% da riqueza mundial.

Desde o início do século, o Produto Interno Bruto (PIB) chinês quintuplicou.

Apesar de a Constituição continuar a definir o país como “um Estado socialista liderado pela classe trabalhadora e assente na aliança operário camponesa”, o fosso social na China mantém-se acima do “nível alarmante” definido pela ONU.

/Lusa

|  Estudante de design cria garrafa que se decompõe quando fica vazia

1 COMENTÁRIO

  1. O que é a classe média chinesa? Ganha 200 Euros por mês apesar de trabalhar 12 horas por dia todos os dias da semana? Isso nos Estado Unidos ou na Europa é escravatura e está abaixo da linha de pobreza.

  2. Não sou da mesma opinião, Joseph. A classe média e alta chinesa é a que aufere 900 Euros por mês apesar de trabalhar 10 ou 12 horas por dia. O que se passa é que esta classe representa talvez 5% da população chinesa. Imagina a quantidade de chineses que estão fora desta percentagem para um dos países mais populosos do mundo? Se ler o resto da notícia a expansão desta classe é próspera para a China assim como para alguns dos países asiáticos. A comparação entre a China e os EUAs ou qualquer outra potência em relação aos indíces sócio-económicos não é tão linear. A China tem vindo a assumir-se como potência mundial devido a sua forte economia, excelentes serviços públicos sim. Mas, pelo menos até à data a riqueza não tem sido distribuída equitativamente pelo povo e tem existido um grande fosso entre ricos e pobres devido á situação política do país. Concordo consigo talvez no aspecto em que esta notícia está incompleta.

  3. O caminho faz-se caminhando.
    Se for para bem é para bem, se for para mal é para mal.
    Quando se vive no limiar da pobreza o que vem é ganho, triste é passar de cavalo para burro.
    Aos críticos das melhorias é por não tiveram “piorias” e isso põe-me a pensar:Porque terá sido???

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here