Companhias acusadas de ocultar tarifas mais baixas de voos internacionais na Venezuela

foto: Wilfredor / wikimedia

foto: Wilfredor / wikimedia

As autoridades venezuelanas acusaram hoje as companhias aéreas que operam na Venezuela de estarem a bloquear a venda de bilhetes “baratos”, disponibilizando aos cidadãos que pretendem viajar para o estrangeiro apenas as tarifas mais elevadas.

A denúncia foi feita por Eduardo Samán, presidente do Instituto para a Defesa das Pessoas no Acesso a Bens e Serviços (Indepabis), durante uma “inspeção exaustiva” no Aeroporto Internacional Simón de Maiquetía, o principal do país, situado a norte de Caracas.

“Estamos a fazer inspeções às companhias aéreas porque têm uma estrutura tarifária abusiva”, disse.

 

Companhias aéreas e agentes de viagens acusados de cumplicidade para se apoderarem de divisas

O presidente do Instituto para a Defesa das Pessoas no Acesso a Bens e Serviços (Indepabis), Eduardo Samán, acusou quarta-feira as companhias aéreas que operam na Venezuela de cumplicidade com agentes de viagens para se apoderarem de divisas.

“Quem está a ficar com as divisas, sugando os dólares, são as companhias aéreas com a cumplicidade de algumas agências de viagens”, disse.

Eduardo Samán falava ao canal estatal Venezuelana de Televisão, sobre a investigação que as autoridades iniciaram recentemente às companhias de aviação na sequência de denúncias de passageiros que acusam as operadoras de “duplicar e triplicar” o custo, em dólares, dos bilhetes para viagens ao estrangeiro.

ZAP/Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here