Designação “porco preto” passa a obedecer a regras

Tiago C Lima / Flickr

-

A referência “porco preto” vai passar a obedecer a regras para acabar com a utilização abusiva desta designação nos produtos de carne e nos restaurantes, segundo um decreto-lei publicado esta terça-feira em Diário da República.

O diploma salienta a crescente procura dos produtos de “porco preto” nos últimos anos, considerando que esta referência é utilizada no mercado nacional de forma indiscriminada na carne fresca e nos produtos à base de carne, muitas vezes sem correspondência com as características do animal, o mesmo acontecendo na restauração.

A fixação de regras para o uso desta referência na rotulagem dos alimentos pretende “evitar que os consumidores sejam induzidos em erro e, por outro lado, situações de concorrência desleal entre os operadores económicos”.

Só poderão usar esta designação, os porcos de raça alentejana registados no Livro Genealógico Português de Suínos ou animais resultantes do cruzamento de raças de suínos inscritos nos livros genealógicos, bem como as carnes produzidas destes animais.

Os animais terão de permanecer, antes do abate, pelo menos dois meses em explorações de pecuária extensiva ou intensiva ao ar livre.

A venda de produtos de “porco preto” que não cumprem os requisitos será penalizada com uma multa que pode ir até aos 25.000 euros.

Os comerciantes vão poder continuar a vender os produtos resultantes de abates anteriores ao decreto-lei até esgotarem os ‘stocks’.

Os produtos associados a marcas ou logótipos que se encontrem registados podem ser comercializados ainda por mais um ano.

Porto Bay Trade / Flickr

-

/Lusa

|  Portugueses resolvem o problema do sabor a rolha no vinho

2 COMENTÁRIOS

  1. É por causa destes abusos que os Alentejanos já há muitos anos que não gostam de chamar “Porco Preto”, mas sim “Porco Alentejano”, por forma a distinguir o vulgar Porco Preto, do verdadeiro Porco Preto, que é o Porco Alentejano.

  2. É por já me ter acontecido, e por ser um bom conhecedor da carne que vem da minha terra.
    Que não se deve comer carne de Porco Preto em Lisboa ou em qualquer outro sítio fora do Alentejo.
    Claro, com exceção para alguns restaurantes que de facto vendem verdadeira carne de porco preto.
    A carne de Porco Preto é , como o nome indica “preta”, é mais gordurosa e a gordura sabe a bolota.
    Já encontrei em alguns restaurantes de Lisboa, “carne de porco preta”, com sabor a bolota, mas de cor branca, igual á do porco comum.
    Por vezes um pouco mais escura, que resulta do cruzamento de Porco Preto com Porco Branco.
    Se pedirem uns secretos de porco preto num restaurante e a carne não for preta, enviem de volta ou então paguem como se fosse porco normal.
    Não se deixem enganar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here