Detido suspeito de envenenar bebida que matou 75 pessoas em Moçambique

A Polícia da Republica de Moçambique deteve um homem suspeito de envenenamento da bebida caseira que matou 75 pessoas e internou mais de cem em Chitima, província de Tete, centro do país, informaram as autoridades locais.

Segundo o porta-voz da polícia na província de Tete, Luís Nubia, citado pelo diário O País, o suspeito, um homem de 42 anos, vivia em Chitima, mas fugiu para outro distrito, perto daquela localidade, logo depois de serem conhecidas as primeiras mortes causadas pelo envenenamento, a 09 de janeiro.

Luís Nubia disse que a detenção do suspeito foi possível graças a denúncias das populações locais, que ajudaram nas investigações para apurar as causas da tragédia de Chitima e que levaram a que o Governo moçambicano decretassse três dias de luto nacional.

Depois de o suspeito pelo crime ser ouvido pelo Ministério Público moçambicano, caso haja provas suficientes, é instaurado um processo-crime.

A bebida, conhecida localmente como phombe, produzida com farelo, açúcar e água, terá sido adulterada com uma substância ainda desconhecida e que levou ao envenenamento em grande escala das pessoas que regressavam de um funeral, a 09 de janeiro, no bairro de Cawira B, em Chitima, sede do distrito de Cahora Bassa.

A análise das amostras da bebida estava à responsabilidade dos médicos legistas do Ministério das Saúde, mas, devido à sua complexidade, as autoridades moçambicanas enviaram-nas também para laboratórios especializados em Portugal e na África do Sul. Ainda não são conhecidos resultados.

/Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here