Em Espanha já se pagam taxas por levantar dinheiro no Multibanco

Pranav Bhatt / Flickr

O Banco Santander anunciou que vai passar a cobrar taxas aos seus não clientes pelos levantamentos de dinheiro nas suas caixas Multibanco. Uma medida que se aplica apenas em Espanha, onde vários bancos já decidiram cobrar estas comissões.

O Caixabank já cobra dois euros aos não clientes que levantem dinheiro nos Multibancos colocados nas suas agências e o BBVA vai fazer o mesmo a partir de Setembro, tal como revela agora o Banco Santander.

Actualmente, o Santander cobra cerca de 60 cêntimos à entidade emissora dos cartões e ao não cliente cobra em função do dinheiro que levantar. Mas, a partir de finais de Setembro ou princípios de Outubro, será aplicada uma taxa fixa de dois euros nesses levantamentos.

O conselheiro delegado do Santander justifica a medida com o alto custo da instalação e da manutenção das caixas Multibanco.

A medida não tem efeitos em Portugal, dada a legislação que protege os consumidores, criada em 2010, que impossibilita as entidades bancárias de cobrarem taxas aos clientes pelos levantamentos de dinheiro no Multibanco.

Para que os banco portugueses pudessem cobrar taxas no Multibanco, seria necessária uma alteração de legislação, aprovada no Parlamento.

Em Espanha, estas taxas não são consensuais e não agradam às Associações de Direitos do Consumidor, nem ao Banco de Espanha. O jornal El País anuncia que a Comissão Nacional dos Mercados e da Competência e os organismos da União Europeia estão a investigar o contexto de aplicação das mesmas.

Logo que Santander, BBVA e Caixabank apliquem as taxas, 44% do total de Multibancos em Espanha passarão a estar abrangidos, conforme dados divulgados pelo El País.

Entretanto, o Banco Sabadell também já anunciou que está a estudar a hipótese de aplicar estas comissões, enquanto o Bankia frisou que não pensa fazê-lo, para já.

ZAP

7 COMENTÁRIOS

  1. Vira o disco e toca o mesmo. E o Santander, que teve lucros astronómicos, pelos vistos é o mais necessitadinho. O mal é se a moda pega. Os nossos já devem estar a esfregar as “manápolas” e não tarda a lei vai ser alterada porque é em benefício dos abutres.

  2. Façam-lhes o favor e levantem tudo o que puderem pois aí eles aprendem. Peçam ao vosso patrão que vos pague em numerário. E quando o dinheiro não estiver nos bancos talvez eles percebam que precisam é de nos pagar para o pormos lá.
    Assim a normalidade volta aos juros e desaparecem as comissões.

  3. Em França, Itália, Espanha, Grécia, haverá muito €uro fora do circuito bancário… E em Portugal, o pouco que há qualquer dia passa a residir de baixo do colchão à antiga

  4. Os bancos que tudo nos cobram, são os primeiros a serem socorridos com o dinheiro dos nossos impostos, quando as coisas lhes correm mal. Nisto inclui-se a gestão danosa que nunca é punida. Se for uma empresa privada, ninguém lhe acode. Vai à falência e pronto. CAMBADA DE SANGUESSUGAS.

  5. Não sei porque razão passam a vida a culpar os bancos e o governo, quando o zé povinho por muito que os roubem, continuam a lá meter os eurinhos, diariamente o povo tem mais e melhor informação no dia a dia, porque raio então metem e deixam lá o dinheiro para que outros o usem em proveito próprio?, sem conflitos, cumprimentos.

  6. Só haverá uma forma de lutar contra a “cartelização” bancária: será os clientes retirarem ou congelarem as contas de forma a encostar os bancos á parede. É o nosso dinheiro que os faz mover. É difícil , mas não acho utópico e a pressão passará por situações que não andarão longe desta imagem. Haverá uma entidade se não cá, noutro lado, onde possamos confiar e aí obrigará deveras a verdadeira concorrência interbancária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here