Pulseira pavloviana dá choques eléctricos a quem abusa nas compras

(dr) Pavlok

Empresa britânica desenvolveu uma app que, juntamente com uma pulseira que dá choques elétricos, pretende ajudar pessoas que gastam mais dinheiro do que o que deviam.

Gastar mais dinheiro do que se ganha é um problema sério e bastante comum nos dias que correm. Para contrariar essa situação, uma empresa britânica decidiu criar uma pulseira para ajudar pessoas mais consumistas.

A ideia partiu da Intelligent Environments que, em parceria com a fabricante de pulseiras que dão choque Pavlok, lançou uma aplicação para ser associada à conta bancária dos utilizadores.

Se a pessoa em questão ultrapassar o limite estabelecido, a “punição” é rápida e simples: leva de imediato com um choque de 255 volts.

Ainda não é certo quando esta ferramenta pode começar a funcionar, até porque é bastante provável que as instituições bancárias torçam o nariz a esta ideia.

“A aplicação tem de ser conectada à conta do cliente, o que pode deixar facilmente a porta aberta para que hackers possam aceder a detalhes do banco”, alerta Lviu Itoafa, investigador de segurança do Kaspersky Lab.

Por outro lado, a empresa britânica garante que é impossível que essas informações possam ser conseguidas por terceiros.

De acordo com os executivos responsáveis pelo software, há várias pessoas empolgadas com a ideia e que se mostraram interessadas em ter uma destas pulseiras.

“As pessoas mais jovens, com 40 anos ou menos, ficaram interessadas na ideia, mas quem tem mais de 50 anos não ficou lá muito empolgado”, contam.

A ideia não é nova, aliás, é uma inspiração da própria Pavlok, a empresa americana que se associou a esta ideia e que criou as pulseiras de choque para ajudar os seus clientes a mudarem de hábitos.

Na ideia original, a pulseira não serve apenas para controlar os gastos mas também para ajudar as pessoas a controlar outros vícios como, por exemplo, fumar, comer demasiado ou até estar agarrado às redes sociais.

ZAP / Hypescience / Hypeness

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here