Explosões com Galaxy Note 7 fazem Samsung perder 10 mil milhões num só dia

(dr) Samsung

Samsung Galaxy Note 7

As ações da Samsung estão a afundar depois da gigante da eletrónica ter advertido os clientes em todo o mundo para pararem de usar o seu smartphone Galaxy Note 7 devido a casos de baterias que explodiram.

A Samsung anunciou no passado dia 2 a retirada do seu novo telemóvel do mercado, depois de detetadas anomalias nas baterias que levaram mesmo à sua explosão durante o carregamento dos aparelhos.

Com o crescente receio de que as baterias se incendeiem, a empresa elevou o seu alerta, dizendo aos utilizadores do Galaxy Note 7 em todo o mundo para desligarem de imediato o smartphone.

Desde então, foram vários os episódios tornados públicos que têm contribuído para este pesadelo da marca que parece não ter fim.

Por exemplo, um utilizador sofreu queimaduras de segundo e terceiro grau quando o smartphone explodiu no seu bolso.

Daniel Ramirez, depois de tratado e analisado a situação, decidiu mesmo avançar com um processo judicial à empresa sul-coreana.

Antes disso, um automóvel incendiou porque o dono da viatura deixou o telemóvel a carregar no seu interior enquanto descarregava umas compras.

@androids / Twitter

Samsung Galaxy Note 7 estragado

Samsung Galaxy Note 7 estragado

Perante este tipo de incidentes, companhias aéreas em todo o mundo proibiram os passageiros de usar estes smartphones durante os voos.

Estas medidas fizeram os acionistas da gigante tecnológica retrair os seus investimentos e retirar o seu precioso dinheiro da empresa sul-coreana.

Num só dia, a Samsung perdeu 10 mil milhões de dólares dos acionistas com uma retração na bolsa de 3.9%.

Esta segunda-feira, ao final da manhã, as ações da firma afundavam 7,11% na bolsa de Seul para 1,46 milhões de won (1.168 euros).

“Toda a situação em torno da Samsung está a tornar-se mais séria e complicada à medida que mais autoridades nacionais em todo o mundo advertem os seus cidadãos para pararem de utilizar o Note 7”, observou Hwang Min-Sung, analista na Samsung Securities.

As repercussões da retirada do mercado – que envolve 2,5 milhões de aparelhos vendidos até ao momento em dez países – pode reduzir o lucro da firma no final do ano em mais de um bilião de won (800,5 mil milhões de euros), alertou o mesmo responsável.

A Samsung lançou o Note 7 mais cedo do que era esperado, mais concretamente antes do lançamento do iPhone 7, na passada quarta-feira.

O Galaxy Note 7 é um dispositivo topo de gama, resistente à água e com scanner de íris ocular, que está a ser comercializado mundialmente desde 19 de agosto.

O lançamento em Portugal, que estava previsto para a semana passada, foi entretanto adiado.

ZAP / Lusa / 4gnews

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here