Incêndio na Torre Grenfell em Londres começou num frigorífico

Andy Rain / EPA

O incêndio em Londres não teve mão criminosa. A BBC, que cita um relatório sobre as primeiras conclusões do inquérito, diz que tudo começou no congelador de um frigorífico.

Segundo a Renascença, em causa está o modelo Hot Point FF175BP, que está agora a ser alvo de testes por parte do fabricante.

Estas conclusões vêm confirmar a hipótese tida como mais provável, face aos testemunhos de residentes, para a origem do incêndio – a explosão de um frigorífico. As autoridades britânicas falam num equipamento “defeituoso”.

O revestimento exterior também não passou nos testes de segurança. A superintendente da Polícia Metropolitanta de Londres, Fiona McCormack, admite haver matéria para avançar com acusações por homicídio no decorrer das investigações.

Setenta e nove pessoas foram dadas como mortas ou desaparecidas.

O Governo britânico já ordenou uma vistoria urgente a cerca de 600 prédios com determinados revestimentos. A confirmação foi feita quinta-feira pela porta-voz da primeira-ministra Theresa May. Os números dizem respeito apenas a Inglaterra. Aguardam-se dados para Escócia, Gales e Irlanda do Norte.

Surgiram suspeitas de que o revestimento acrescentado depois de obras na torre pode ter tido papel determinante no alastrar das chamas e na dificuldade para a saída dos habitantes.

Entre 400 e 600 pessoas viviam nos 24 andares do prédio, localizado no bairro de Kensington. As chamas fizeram 78 feridos, 10 dos quais em estado crítico.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, já tinha anunciado que serão disponibilizados cinco milhões de libras (5,7 milhões de euros) para ajuda de emergência às vítimas do incêndio em Londres.

ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here