Lojas aumentaram os preços antes da Black Friday

A DECO denunciou casos de fraude em algumas lojas na última sexta-feira, o dia da tão esperada tradição norte-americana conhecida por Black Friday.

Técnicos da DECO analisaram 1862 produtos de sete lojas com venda a retalho e online, entre 16 e 27 de novembro, e concluíram que houve um aumento de preço em 10% dos produtos.

Em declarações ao Diário de Notícias, um dos técnicos, Tito Rodrigues, explica que a DECO encontrou dois tipos de situações quando foram comparados os preços antes e depois da promoção.

“A mais frequente, o desconto real da Black Friday era inferior ao anunciado e o caso em que o desconto era negativo”, afirma.

Entre as lojas analisadas estão a FNAC, a Rádio Popular, a Worten, o El Corte Inglês, a Staples e a Box. Apenas as duas últimas não registaram problemas, tendo sido registados casos mais flagrantes na Worten e na Rádio Popular.

“Um em cada 20 produtos analisados viola a Lei dos Saldos e das Promoções e a Lei das Práticas Comerciais Desleais”, denuncia a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.

Perante esta situação, a DECO alerta tanto a ASAE como a Direção-Geral do Consumidor para que sancionem as empresas em questão, com coimas que podem chegar aos 45 mil euros por infração.

A associação enviou ainda os resultados do estudo ao Ministério da Economia, com o objetivo de que este estabeleça novas medidas, entre elas, a divulgação do preço mínimo praticado nos 30 dias anteriores ao desconto e a apresentação gráfica da variação dos preços praticados no último mês no meio online.

Os resultados do estudo não surpreenderam os técnicos, já que a análise partiu exatamente de algumas reclamações dos consumidores com casos de aumento de preços nas vésperas dos descontos.

De acordo com dados da SIBS, os portugueses gastaram cerca de 700 milhões de euros na semana da “sexta-feira negra”.

ZAP

1 COMENTÁRIO

  1. Tudo normal…não é nada que eu já não sabia….muitos portugueses é que não fazem as contas nem querem saber dos preços…nem os comparam…logo vêm que é saldos e nem querem saber os preços para nada! Ainda dizem que os portugueses não têm dinheiro…eu bem os vejo a comprar as coisas mais caras e a gastar o dinheiro a torto e a direito….

  2. Esperamos que a ASAE faca pior do que fez ao pingo doce que estava ajudar os consumidores que esses vigaristas que alteraram os preços que as multas sejam a dobrar do que eles receberam O staples deve ser por contagio que na origem isso não acontece ve-se quem e que esta a frente das lojas e so porcaria portuguesa deviam ir parar a cadeia que assim aprendiam

  3. E novidades?!
    Nada de novo; são apenas modas (americanices) para os estúpidos viciados no consumismo…
    E, quem vai acorrer comprar só porque, supostamente, está com desconto (e não porque lhes faz mesmo falta), não merece outra coisa!!
    Propaganda para a carneirada!…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here