"Não servimos ciganos". Associação apresenta queixa contra restaurante por racismo

A Associação SOS Racismo apresentou este sábado uma queixa na Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR), denunciando que um restaurante em Odivelas proíbe a entrada de pessoas de etnia cigana.

José Falcão, dirigente da associação, disse à Lusa que os episódios terão acontecido pelo menos duas vezes na quarta-feira, ao almoço e jantar, quando algumas famílias de etnia cigana viram a sua entrada no restaurante ser proibida, e na sexta-feira, quando ao telefone um cigano que tentava reservar mesa foi informado de que não valia a pena, porque não poderia entrar no estabelecimento.

De acordo com a queixa enviada pela SOS Racismo à CICDR, “no dia 03 de maio, dois casais com um bebé de colo, dirigiram-se ao Restaurante Marisqueira Queda de Água, em Odivelas” e “quando tentaram entrar foram barrados pelo empregado” que os informou de que “não serviam ciganos”, por “ordens da administração”.

Dois dos visados chamaram a polícia, que tomou conta da ocorrência, e apresentaram queixas no livro de reclamações.

No mesmo dia, pelas 19:30, outros dois casais com quatro filhos e um outro familiar, que já teriam reservado mesas com uma semana de antecedência, também não puderam jantar, “com o mesmo argumento: a casa não servia ciganos“, refere a queixa.

“Cientes dos seus direitos e do crime que estava a ser cometido, também chamaram a polícia e escreveram três queixas no Livro de Reclamações”, acrescenta.

Segundo a SOS Racismo, também outro cigano tentou reservar mesa para seis pessoas por telefone, tendo sido questionado sobre se era de etnia cigana e avisado de que seria escusado marcar, porque depois não poderia entrar no restaurante.

A SOS racismo juntou à queixa escrita uma cópia do áudio da conversa telefónica. A Lusa contactou a administração do restaurante, mas até ao momento não obteve uma posição.

// Lusa

49 COMENTÁRIOS

  1. Dizer de boca cheia que é racismo talvez seja prematuro sem se perceber o que esteve na origem desta tomada de posição, por parte do restaurante.
    Um coisa sei, onde estes fregueses entram, geralmente, hä confusão, fazem barulho, incomodam os outros e julgam-se com os direitos todos. A ciganada é, salvo algumas excepções, malcriada e não se sabem comportar.
    Pessoalmente, gosto de partir do principio que ninguém deve ser excluído, isto é, sou adepto da inclusão de todos na sociedade mas, para que isso aconteça, é preciso que as pessoas se queiram incluir. Muitas vezes são as próprias minorias que se autoexcluem e não fazem o minimo esforço para se integrar. Pura e simplesmente não querem respeitar as regras da sociedade, não querem ter as obrigações que essa vivência em sociedade nos determina. Desconhecem o que é CIDADANIA.
    No penúltimo paragrafo lê-se “cientes dos seus direitos….” pois é, está tudo dito, eles estão sempre “cientes dos seus direitos” mas dos deveres e obrigações sofrem duma permanente e cómoda amnésia. Cada vez estou mais convencido que os ciganos não querem a inclusão social, pois isso implicaria assumirem deveres e o que eles verdadeiramente querem é só ter direitos, como aliás se verifica.

    • Concordo. Eu não o diria melhor.
      Realmente, quem se quer integrar na nossa sociedade é bem-vindo. Mas tem de cumprir os seus deveres e respeitar os outros, não só exigir os seus direitos.

    • Exactamente isso!
      A ciganada só tem direitos, mas esquece-se dos deveres!
      Acho bem que sejam barrados, alias nem deviam ter lugar em portugal!
      É pena, mas é o que sinto!

    • Nem mais. É-lhes tudo dado de mão beijada e enquanto não transforam o espaço deles e dos outros numa autêntica lixeira, não descansam. Estacionam no meio da estrada pra “bater um papo” e se alguém apita ainda é ameaçado, fazem dos vãos de escada locais de festa com musica até lhes apetecer e os outros que se amanhem, enfim, só pra dar alguns exemplos, mas são sempre os coitadinhos. Nunca vi uma minoria ter tanto poder como estes tipos.

    • apoiado. o que o restaurante quer dizer é que “não servimos problemas”.
      quanto a mim, quem devia intervir era o PAN já que estamos a falar de animais sem controle

    • Essa dos deveres é presunção a mais. Sabe de antemão que não iam portar_se bem à mesa ou iam recusar pagar a conta?

        • Raciocinio viciado.
          Se vamos por aí também o podem barrar a si, que suponho não seja cigano, porque ninguém pode garantir à sua entrada que não vai causar problemas durante ou à saída!

    • Os ciganos não saíem raptando bebés para os violar, e é quando não violam as próprias crianças da família
      Quando vamos a um centro comercial andamos sempre em cima dos nossos filhos não andamos a vontade porque anda aí muitos bibis,pelo que sei até um guarda da grn andava a abusar das crianças
      Mas perto dos ciganos se perdermos os nossos filhos ,eles vão lhe entrar não mão
      Não vão fazer certas maldades
      Acho que isso é muito pior
      Fica aí a dica
      Bibi

  2. O(A)s Sr(a)s do SOS racismo deveriam estar no centro de saúde, com os filhos doentes, há horas esperando, e verem chegar ciganos que exigem ser atendidos imediatamente..e são-no.
    O(A)s Sr(a)s. do SOS racismos deveria ter filhos de 7 anos na escola e passar o dia esperando que não haja qualquer confusão com o vosso filho e algum ciganito e ter, á saída da escola, os pais do ciganito a fazer “umas festas” ao vosso filho.
    Ou deveriam ser professores e não poderem marcar faltas ao ciganos que faltam às aulas por medo de represálias.
    Ou deveriam ser fiscais da EDP, EPAL e tentar fazer leituras de contadores.
    Ou morar em prédio em que uns pagam tudo e mais alguma coisa e outros, simplesmente, se recusam.
    Mas se calhar não sabem nada sobre estas, e outras, coisas que todos os dias acontecem.
    Sou, sinceramente, pela inclusão social, pela igualdade entre as pessoas. Mas, para ser ter direitos, é necessário merece-los. E com os direitos vêm os deveres.

  3. Os ciganos, na sua maioria não são uma etnia sociável, têm as suas próprias regras e não respeitam as regras que se aplicam a todos os outros. Estranho um restaurante que não aceita ciganos ter na mesma altura vários grupos a querer lá ir, deve ser um esquema para tentarem ganhar algum dinheiro. Além disso muitos ciganos roubam produtos horticulturas para vender, roubam em geral e vendem drogas. Aceito que um restaurante não os queira ter. Depois temos estas associações que defendem as minorias, mas não se preocupam com tudo o resto, vemos crianças ciganas que não vão à escola, que os pais são bebados, filhos sujos e maltratados e a protecção de menores onde anda? Os ciganos não podem querer ter todos os direitos sem os deveres da sociedade. Quantos ciganos trabalham e pagam impostos ? 5 % , talvez sejam muitos

  4. Curiosamente ontem ouvi uma conversa interessante entre dois ciganos, homem e mulher. Um dizia que nem pensar em registar as crianças que nascem na comunidae porque só Deus tem o direito de saber quem são os filhos dos ciganos e os ciganos só se guiam pela lei de Deus e não pela lei dos homens.
    Ao que a mulher argumentou que se não registassem as crianças depois não conseguiriam “o tal dinheiro”.
    Reposta do tipo: “Ah para isso a gente vai lá registar “os outros” (?!) como fizeram (não sei quem) e “que dá resultado” porque “eles” nunca “se metem com os ciganos” e “nem sabem contar”.

    O que deve querer dizer que deverá dar para juntar uns quantos “outros” e ainda ganhar uns cobres na segurança social. Na mesma segurança social onde há um par de anos atrás estava uma cigana aos berros num escandalo brutal porque naquele mês só tinha recebido um cheque de 2600 euros e aquilo não dava para matar a fome ás crianças todas porque parece que faltava incluir por lá um “filho”…

    Portanto isto do racismo tem muito que se lhe diga. Se alguém nega direitos seja a quem for que participe e cumpra qualquer regra que todos nós somos obrigados a cumprir acho muito bem que seja penalizado por descriminação e tudo o mais. Agora isto tem que ser visto caso a caso, pois sei de familias ciganas absolutamente espectaculares em termos de honestidade e educação mas o contrário é o que mais anda por aí e o que não falta por aí são ciganos aos berros contra o racismo quando são eles próprios os primeiros a não quererem pertencer “à lei dos homens.

  5. Há dias estava numa fila de umas 30 pessoas chegou um casal dessa etnia tirou ticket e quando chamaram pelo próximo o indivíduo gritou sou eu sou eu. e ninguém reclamou nem mostrou ticket pois tudo ficou com medo de represálias. Onde estão os deveres. Estou totalmente de acordo com o que se diz. Isto não é racismo isto é ser justo com essa etnia.

    • Concordo com tudo isto que foi comentado por estes senhores…..pois esta raça e outras mais por norma são mal educados porcos e não sabem estar num lugar decente nem querem aprender e muito menos respeitar os os outros , além disso se acham sempre donos da razão….o mal de tudo isto é que a maioria ou quase todos t~em subsídios do governo e casa, além de fazer os negócios deles sem pagar qualquer imposto!!!!

    • O quê?
      Onde foi isso?
      Então e ninguém diz nada? Essas pessoas são tão boas como esses ciganos!…
      Havia de ser aqui na minha zona…

  6. Estes srs. vão a este restaurante e cospem no chão, atiram com a comida, os filhos mexem nas mesas de outros clientes, pois os clientes abituais ameaçaram não voltar mais ao restaurante, o restaurante não tem de perder dinheiro por causa da má educação.

  7. Aiii….

    inda hoije tentei ir comêri a êsse ristoranti i fui otra vex currido delá prafora….

    Aiiiiiii, sinhoris, precise di gastari o dinheiru do subsid en marisque, pra dar de comeri às mês filhes

    Açç: Zé Lelo

  8. Constituição da República Portuguesa
    ARTIGO 13.º
    (Princípio da igualdade)
    1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.
    2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer
    direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça,
    língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução,
    situação económica, condição social ou orientação sexual.

    Em questões de desrespeito absoluto pela Lei Fundamental é fazer de conta que a discriminação é uma opção ou uma questão de opinião. Não é.

    • Sra Alexandra R., não entendi o comentário que fez no final, pois fiquei na dúvida se o artigo obriga os srs. do restaurante a atender os ciganos com todos os prejuízos que essa decisão possa acarretar, a curto e longo prazo, ou se têm o direito de lhes barrar a entrada uma vez que o mesmo ARTIGO 13.º define que ninguém pode ser prejudicado ou privado de qualquer direito, e penso que foi este o direito a preservar os próprios bens e integridade dos seus clentes que a administração exerceu.

  9. E para além disso, será que o SOS Racismo vai pagar as contas que estes senhores deixam por pagar por todos os sítios por onde passam. Se sim, queiram mandar a morada que eu envio as contas que por cá tenho também tenho por cobrar, porque quase todos esqueceram da carteira e depois esqueceram-se de cá voltar.
    Infelizmente neste caso tenho de concordar com a administração deste restaurante, e discordar com o SOS Racismo, até porque a administração não faltou ao respeito desta etnia, simplesmente evitou os problemas que provavelmente já teve no passado repetidas vezes.
    E na minha terra diz-se assim:
    – À PRIMEIRA TODA A GENTE CAI;
    – À SEGUNDA SÓ CAI QUEM QUER;
    – À TERCEIRA SÓ CAI QUEM É BURRO !!!!
    Será que os senhores SOS Racismo são BURROS??
    Pelos vistos os senhores do restaurante NÃO SÃO!!!

  10. Há uma comunidade cigana que todos os meses o” Zé Carteiro” leva 19.856 € em cheques da Seg Social, são alimentados pelo centro de dia da cidade onde vivem , PARTE DA COMIDA É DEITADA AOS CÃES porque não gostam de peixe.
    tenho DITO.

  11. Porque quando uma pessoa diz a outra “és meio cigano” esta fica ofendida? Porque é que essa expressão tem o significado que tem para 100% dos portugueses?!? Não terá a ver com os comportamentos da dita etnia?!? São todos uns coitadinhos. Mas honra lhes seja feita, são a etnia mais unida que há. Quando há um problema com um deles todos se unem em seu favor não interessa o motivo isso é secundário, o principal é defender os seus. E é por isso que fazem o que lhes dá na gana, porque nós não nos unimos e permitimos que roubem, trafiquem, parasitem a segurança social, etc, etc. Eles querem ter os direitos todos mas sem os deveres e obrigações inerentes, eles é que são o mais racistas que há porque não respeitam nada nem ninguém, a liberdade deles não acaba na liberdade dos outros, por isso é que ninguém gosta deles porque ninguém gosta de má educação e eles não querem nem fazem o mínimo esforço para mudar. Se eles respeitassem os outros a palavra ciganice não teria o significado que tem. Se as pessoas honestas e honradas, que têm cientes não só os seus direitos mas também os seus deveres e obrigações, se unissem contra a escumalha mal formada eles não faziam o que fazem, mas como vivemos numa sociedade individualista onde as pessoas só se mexem se lhes disser diretamente respeito estas minorias mal formadas mas unidas levarão sempre a melhor. Somos muitos mais que eles, eles é que deveriam ter medo de nós e não o contrário… Está na hora de o povo acordar e se unir, já basta de ciganada e ciganices!! Quem não respeita os outros está a mais na nossa sociedade… BASTA JÁ!!

  12. Muito provavelmente quem se lixa é o dono do restaurante… espero bem que isso não aconteça pq isso é dar força a estes indivíduos. Isto vem concerteza na sequência de outras situações envolvendo ciganos. Em odivelas, de há uns tempos para cá, alguns estabelecimentos deste género optaram por fechar às 2.as feiras por causa dos problemas que cada vez mais ciganos criam. Há sítios onde eles comem do bom e do melhor e à farta. O problema é pagar. Casos houve em que depois de cheios, punham cabelos nos pratos para não pagar. Chegou a haver polícia envolvida e tudo. É pena os proprietários não terem a mesma atitude destes tipos e por esta gente em tribunal e denunciar estas situações. Mas muitas vezes o medo fala mais alto. A maior parte não valem nada e são falsos. Espero que o proprietário do QA saiba conduzir este assunto da melhor forma porque existem mecanismos na lei para evocar ” direito de admissão”

  13. Pela primeira vez, desde que leio estas noticias, que vejo todos os comentadores de acordo !!!!

    Na realidade é estranho tanta família cigana a querer ir comer naquele restaurante.
    Até parece que sabem que não os querem lá, e por isso vão provocar a nega para poderem reclamar.
    Aos donos do Restaurante sugiro que alterem o nome do Restaurante por forma a incluir a palavra SAPO.
    E depois decorem a sala com imagens daquela iguaria gastronómica.

    Não é só contra o SARAMPO que nos devemos/podemos vacinar !!!!

  14. Ainda ninguém focou uma coisa, esses Srs mandam vir do bom e do melhor e saem sem pagar a conta, e ai de quem venha atras…
    Logicamente não são todos iguais…

  15. O maior chorrilho de asneirada que já vi sobre a etnia cigana! Foi assim que os nazistas começaram a discriminar os judeus, os negros e os ciganos, os coxos e os cegos… Como vcs podem falar em “integração” ou “não integração” se dão aqui provas suficientes e claras do vosso racismo, da vossa nojenta xenofobia, da vossa própria discriminação em relação a uma etnia? Se o caso se tivesse passado com negros os vossos sentimentos seriam certamente os mesmos! E se calhar, muitos dos que bolsaram aqui, até se dizem católicos, vão à santa missa e se confessam ao senhor padre… Hipócritas!!

    • Talvez a integração de que o sr. defenda seja por ex. abrir-lhes as portas de nossas casas e dizer:
      – Servi-vos à vossa inteira vontade, tomem o que quiserem.

      Mais esclareço:
      Hipócrita – Pessoa que finge sentir o que não sente; quem demonstra uma opinião que não possui ou dissimula qualidades que não têm; fingido.

      Sr. Fernando Pereira, não consigo entender quem se encaixa no perfil de hipócrita como o sr. indica.

    • Deve ter muitos vizinhos dessa etnia!
      Quem sabe até clientes, ou fornecedores!
      Vá lá comer no meio deles, que se sentam à mesa sem sequer lavar as mãos.

  16. Sr Fernando Pereira se é assim tão boa pessoa, de-me a sua morada, para enviar aqui os poucos desta etnia, para você lhes dar atenção, comida e alojamento e quem sabe até lhes dar o que tem em casa ou parte do seu salário. Ou será que também é um mal formado como eles?
    Se tiver coragem como o comentário que fez, desafio o a meter aqui a sua morada, para ter as boas vindas de alguma dessas pessoas! Sabe a muitos que falam porque não dão a cara, porque se dessem a cara moderavam os comentários que fazem

    • Nem mais caro amigo!
      Pessoalmente, começo a ficar enojado com estes hipócritas, pseudo-humanistas de treta, esses sim, verdadeiros hipócritas, que preferem meter a cabeça na areia do que ver a realidade, que todos vemos e, mais ou menos, vamos sentindo.
      Querem distorcer a questão e para tal usam o chavão da “xenofobia” e do “racismo”. Curioso é que nåo os vejo dizer que ninguém é “xenofobo e racista” com os Chineses. A resposta é simples, chegam ao nosso país, são educados, não armam confusão, vivem do seu trabalho, sabem respeitar a nossa cultura, sabem comportar-se, não os vemos na chulice da seg. Social (podem não contribuir mas também não sugam o que sabem não ter direito), integraram-se na sociedade, com os seus usos e costumes e, todos os respeitamos, porque eles souberam integrar-se, respeitando a nossa cultura mas mantendo-se fiéis á sua. Se os ciganos fizessem o mesmo, seguramente aqui ninguém os criticava.
      Quantos de nós, no dia a dia, já nos deparámos com faltas de respeito e autentico gozo desta gente. É por haver gente que continua a ser, digamos que, condescendente, com estes comportamentos, que iremos continuar a ver o que vemos, repatições publicas repletas destas pessoas, onde passam á frente de toda a gente, reclamam, ameaçam, injuriam funcionários, etc, até terem o que querem, batem em professores depois de serem repreendidos por algo de errado que fizeram, etc. Coitados, chamá-los á razão é xenofobia e racismo na optica de alguns, para mim, é mais um esforço social de integração que todos fazemos e que eles desprezam porque lhes convém.
      Xenofobos e racistas são eles connosco. Qualquer dia quem faz queixa ao sos racismo sou eu, contra estes individuos. Trabalho, pago os meus impostos e contribuições aos sistemas sociais, que aliäs faço com gosto porque acredito nas causas da sua essencia e que a minha contribuição possa diminuir o sofrimento a alguem mais necessitado do que eu agora, tenho dificuldade e não aceito é em pactuar com chulos e parasitas do sistema, como os ciganos. E o xenofobos e racistas somos nós? Francamente! Há gente que gosta mesmo de ser enganada e gozada.

    • Apesar da sua ironia, deixe-me esclarece-lo, NÃO SOU NACIONALISTA, SOU É POR AQUILO QUE É JUSTO E CORRECTO. Se uma situação qualquer menos correcta ou justa com ciganos ou quaisquer outra minorias acontecer, serei o primeiro a vir defendê-los.

      • “NÃO SOU NACIONALISTA, SOU É POR AQUILO QUE É JUSTO E CORRECTO” Permita-me corrigi-lo: “(…) AQUILO QUE” (…) acha que “É JUSTO E CORRECTO”! Aquilo que pensa (e tem todo direito de fazê-lo) não é a verdade absoluta! A maioria dos comentadores aqui ACHA que a descriminação ao cigano é justificavel. Eu não acho, (e não sou o único!) por isso não é verdade absoluta. Realmente é verdade que a etnia tem algumas “dificuldades” com a autoridade, mas isso torna-os TODOS iguais? Somos TODOS IGUAIS e eles… são diferentes? Falam de hipocrisia… Hipocrisia é exigir, para si; liberdade, justiça e igualdade de tratamento e depois negar isso a alguém. Isso é que é hipocrisia.
        Concerteza que não vou viver para a beira de um bairro com ciganos para provar isto ou aquilo. Eu sei que, quanto mais os oprimem e tratam de forma diferente, (exigindo que sejamos todos tratados de forma igual) mais eles se tornam agressivos e desrrespeitadores das regras. Eles não vão mudar, mas parece-me que “vocês” também não. isto nunca acabará porque eles não querem e vocês também não (não será ao contrário). Ninguém quer dar a parte fraca (ceder, para quem não conhece a expressão) e “isto” só tende a escalar cada vez mais. Eles têm uma maneira de ser muito aguerrida (refiro-me, antes de mais, à cultura) que os coloca “superiores” a todos. Mas há algo que eles têm (a sua cultura, mais uma vez) que a nossa cultura não tem (e nunca terá): União, companheirismo, entreajuda… “Nós”, quando vemos alguém (de nós) em dificuldade, ignoramos. Não ligamos. Eles? Acolhem imediatamente! E porque é que “eles” são cada vez mais unidos (para além do que eles – a tal cultura – já são)? Porque se têm de unisr contra um mal comum: VOCÊS!!!
        Solução? Aprender, e mostrar vontade em aprender como eles são e funcionam. Tenho a certeza que se o fizessemos, eles estariam mais receptivos a fazê-lo também. Se fossem respeitados como iguais, talvez não tivessem necessidade se se mostrarem superiores a nós. E; é curioso, porque estes comentários, acusando-“os” de se acharem superiores, provam que são VOCÊS que se acham superiores a eles. Ora… Se “isto” continuar assim, para que lado é que acham que vai pender? Acham que alguém ganha esta guerra? “Eu sou superior!”. “Não! Eu é que sou superior!”. No fim, ninguém é superior e TODOS perdem.
        Sr Bastão: Quando o senhor defende um justiça justa, como já o vi (li) muitas vezes aqui no ZAP, não pode vir exigir diferença de tratamento (injusto) a outros cidadãos)! Como é? Justiça (a verdadeira – que é rara em Portugal) é só para uns? Não pode pedir o fim da fome no Mundo, e depois negar o pão a uma minoria… Não pode pedir a paz no Mundo e, a seguir, vender armas a uma facção. Bem… Poder pode, (é um seu direito) mas perde toda a sua coerência.
        Se os ciganos algumas vez mudaram? Não sei. Mas tenho a certeza (absoluta) que isso NUNCA acontecerá enquanto “nós” não estivermos dispostos a mudar. Mas… Já demos (e ainda damos) tanto a eles! Pois… Geralmente damos-lhes bairros longe de tudo… Isolamo-os de “nós” para que não tenhamos de nos preocupar (e lidar) com eles. Que rica “oferenda”. Eles sentem isso, sabem? Que são afastados da sociedade cada vez mais! Como “vocês” se senteriam se algo semelhante vos acontecesse? Ficariam felizes ou sentir-se-iam injustiçados? Não se sentiriam revoltados? Não pensariam que seria bem melhor viver com os nossos ao invés de viver com eles (regras incluido)?
        Não se ponham no lugar deles. Ponham-se no vosso! Não mudem a vossa maneira (errada ou não) de pensar. Tentem, isso sim, entender o que realmente se passa. Analisar a realidade. Entender o outro lado. Existe uma frase que diz, mais ou menos, o seguinte: Se não te amas a ti, então quem te amará? Eu digo: Se nós não estamos dispostos a mudar (ou, no mínimo, compreender) acham que alguém também estará?

        • Li com atenção o que escreveu e de facto teria muita razão se as pessoas que se acham injustiçadas ou discriminadas por uma sociedade como a nossa, não pegassem com frequência em armas para resolver as suas injustiças, inclusivamente com as pessoas da mesma cultura, nem que seja para repor a própria honra porque a sua filha de 13 anos não quer casar com alguém que a família combinou, mas sim com alguém que há-de vir a conhecer ela própria.
          A cultura dos ciganos, promove a pedofilia, a escravidão das mulheres, e desprove-as de direitos fundamentais do ser humano.
          Contudo uma vez que “eles” não cedem nem cumprem as leis do nosso país, devo concluir, pelo comentário que teceu, que se “nós” tivéssemos uma conduta mais parecida com a dos ciganos este país seria muito mais democrático, promoveria uma maior integração e viveríamos todos muito mais felizes e sem medos, e deixaría-mos ir todos os dias os nossos filhos e filhas para as escolas sem receio algum, pois dir-lhe-íamos, para que quando fossem assaltados, fizessem o mesmo.
          Se quem se sente posto de parte, responder com violência ou desrespeito pela lei ou pelo civismo, não está de todo a percorrer o caminho certo, para isso, bem ou mal, tem de se socorrer das autoridades e das leis, ainda que estas entidades funcionem lentamente, pois com os que não são ciganos também demoram na atuação.

          • “devo concluir, pelo comentário que teceu, que se “nós” tivéssemos uma conduta mais parecida com a dos ciganos este país seria muito mais democrático” Pois concluiu mal! Leia outra vez. Se bem que acho que não vai adiantar. Cabeça dura…
            De qualquer forma, este comentário não se dirigia a si, mas ao Sr Bastão que ataca ferozmente (e com razão) a parcialidade da “justiça” no caso Sócrates, e, aqui, esquece-se dos “direitos” de outros…

  17. Gostaria de esclarecer a minha posição neste debate de opiniões, principalmente em relação ao sr. Paulo Martins e ao sr. Fernando Pereira, os quais respeito as suas opiniões e não lhes tentarei impor qualquer doutrina, pois não tenho nem quero esse direito, contudo esclareço que não sou racista nem xenófobo, nem sou nacionalista ou de qualquer posição política extrema, sou simplesmente um ser humano atento ao seu redor, que VÊ, OUVE e SENTE e que formulo a minha opinião em relação à minha experiência de vida, e não preciso de qualquer rótulo populista para ter opinião, para isso tenho um cérebro. E por muito triste que pareça, a opinião de quase todos os intervenientes que aqui postaram os seus comentários não mostram racismo, mostram realismo e tristeza pelo ponto a que as coisas chegaram neste momento em relação à maioria dos ciganos.

    • Concordo quando diz que “mostram realismo”, mas tristeza? Onde? A agressividade é tanta! Onde está essa tristeza que fala? E sim! É racismo puro! O povo português ainda é muito racista. Já vai tolerando esta ou aquela etnia. Este ou aquele comportamento/cultura/religião… Mas; e especialmente no que respeita aos ciganos, essa tolerância perde-se imediatamente! É sim racismo! Não se engane quanto a isso. Não quer dizer que não haja alguma “razão” para isso acontecer (o comportamento de uma percentagem razoável de ciganos). Mas a cultura do ódio aos ciganos persiste. E “eles” sabem! Por isso são ainda mais agressivos (e provavelmente, também eles, racistas)! Violência gera violência. Racismo gera racismo. Quando se quebra o ciclo? Quem está disposto?
      Eu também VEJO, OUÇO e SINTO. Mas VEJO, OUÇO e SINTO os dois lados, não só o meu! Também o faz, Sr Ferval?

      • Claro que eu construo a minha opinião, relativa à minha vivência e experiência de vida e a minha conclusão é a seguinte:
        – se no universo de pessoas minhas conhecidas ou que lido ou tenho lidado no dia-à-dia posso atribuir um valor de cerca de 5000 pessoas, dessas seguramente que 200 são de etnia cigana, desses:
        – os que trabalham legalmente incluindo o trabalho de feirante, conheço cerca de 30;
        – os que recebem algum tipo subsídio, 200 (todos);
        – os que já descontaram para a segurança social, ou já descontaram mais do que receberam, não sei dizer, pois nunca lhes perguntei;
        – os que já praticaram algum tipo de delito (que eu tenha tido conhecimento) ou têm dívidas para com a minha empresa ou meus conhecidos, cerca de 150;
        – em quem eu confiaria algo de alguma importância, 3.
        Dos outros 4800 que não são de etnia cigana:
        – os que trabalham ou já trabalharam e estão neste momento desempregados à espera de emprego 4000:
        – os que auferem de algum tipo de subsídio (abono de família inclusive), cerca de 500;
        – os que já praticaram algum tipo de delito (que eu tenha tido conhecimento) ou têm dividas para com a minha empresa ou meus conhecidos, cerca de 200;
        – em quem eu confiaria algo de alguma importância, 4200.
        Logo a minha conclusão é:
        – Dos meus conhecidos ciganos:
        – cerca de 100% recebem um ou mais subsídios.
        – cerca de 75% praticaram algum tipo de delito ou fraude.
        – cerca de 15% trabalham ou exercem alguma atividade legal.
        – cerca de 1.5% são dignos da minha confiança
        – Dos meus conhecidos que não são ciganos:
        – cerca de 10% recebem um ou mais subsídios.
        – cerca de 4% praticaram algum tipo de delito ou fraude.
        – cerca de 83% trabalham ou exercem alguma atividade legal
        – cerca de 87% são dignos da minha confiança
        Esta é a minha opinião que foi sendo formada ao longo dos anos, e que me leva a compreender a atitude da gerência do restaurante, e infelizmente os comentários de muitos dos intervenientes deste espaço.

        • Quem faz um cesto faz um cento, não é? Então, se um dia faz uma parvoíce qualquer, é parvo para toda a vida! Vê as estatísticas… Sabe o que eu vejo no seu comentário? Um distancionamento absolutamente xenófobo. A forma como refere os “200 são de etnia cigana”. “Eles”. Não é racista? Pois engana muito bem! Pois continue a enganar os outros e; talvez, a enganar-se a si próprio. Não tenho conhecimento de causa (embora tenha tido algumas más experiências com ciganos) mas, da forma como se refere a “eles”, você nunca terá. Porquê? Porque NUNCA se pôs no lugar “deles”!
          Deixe-se estar com a sua opinião, mas não me chame de parvo, ok? Não é racista nem xenófobo? Pois..

          • Sr. Ver Ouvir e Sentir, está completamente equivocado no seu raciocínio, aquilo que escrevi acima foi de alguma forma um relatório do que tenho observado, e quanto a isso, não posso mudar o passado, o futuro, não sei o que reserva.
            Quem se refere a “eles” é o senhor, não eu, logo quem está a ser xenófobo é o senhor, não eu.
            Garanto-lhe contudo que evito fazer negócios com a maior parte dos ciganos, não por racismo, que nada tem para aqui a ver, mas por experiência, pois sei que o que lhe vender se não receber o pagamento na hora, dificilmente o receberei, e o que me tem acontecido é que nunca mais voltam ao meu estabelecimento.
            No entanto convivo no dia a dia com alguns que de facto tenho consideração.
            Quanto à minha forma de escrever o português, gostaria que o sr. me dissesse como haveria de escrever as frases do meu comentário acima afim de não parecer um comentário xenófobo, pelo menos na sua forma de ver as coisas, pois o que penso é que o sr. é que está a ler meus comentários com ideias pré-concebidas e com aquilo que eu chamo o síndroma do coitadinho.
            Não será a sociedade cumpridora que tem de se curvar aos caprichos de quem não quer cumprir ou assume uma postura violenta perante os que não são ciganos, a lei é igual para todos e quem não cumprir a lei seja cigano ou não, terá que responder pelas atitudes que pratica, ser-se cigano não é agravante nem deve ser atenuante quando uma infração se comete. Temos sim de pensar que em primeiro devemos cumprir as regras da cidadania todos nós sem exceção.

          • “Para bom entendedor meia palavra basta”.
            Muito obrigado, Sr Ferval, por comprovar aquilo que afirmei anteriormente. Este último comentário é prova mais que suficiente. Nada mais posso acrescentar. Obrigado pela sua eloquência.

  18. Mai´nada! Quem não se quer incluir e não respeita as regras em sociedade não se queixe depois … Não temos só direitos, temos também deveres!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here