Plano de recuperação da Caixa vai sair caro aos clientes do banco

Rodrigo Gatinho / portugal.gov

Paulo Macedo, presidente da CGD

Menos rendimentos com as poupanças e créditos e serviços mais caros para os clientes, eis o que prevê o plano de recuperação da Caixa Geral de Negócios (CGD) que visa passar dos actuais três mil milhões de euros de prejuízos para os 670 milhões de lucros em apenas quatro anos.

O plano de revitalização do banco público que Paulo Macedo, o recém-designado novo presidente da CGD, vai aplicar passa essencialmente, pelo “corte de custos”, conforme constata o Jornal de Negócios.

Nesse sentido, serão os clientes da Caixa a pagar grande parte da factura que visa recuperar o banco e passar de uma situação actual de três mil milhões de euros de prejuízos para os 670 milhões de euros de lucros em 2020.

Assim, os juros dos depósitos vão descer de 0,6% para 0,2%, afiança o Negócios, notando que os créditos, por seu turno, vão ficar mais caros.

A expectativa é que estas medidas rendam mais de 400 milhões de euros até 2020, segundo o mesmo jornal que refere que destes, 275 milhões serão oriundos da poupança nos juros dos depósitos.

Quanto aos créditos mais dispendiosos, a Caixa parte do princípio de que as taxas de juro vão continuar negativas ou que, não subirão acima dos 0%.

Os clientes da CGD podem ainda esperar aumentos nos tarifários de alguns dos serviços prestados pelo banco.

No rescaldo da substituição de António Domingues por Paulo Macedo, na presidência da CGD, a comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager, disse estar em contacto com o Governo e a acompanhar as evoluções no processo e também, que espera que o banco “siga em frente” após a recapitalização.

“Esperamos que, depois da injecção de capital, o banco possa seguir em frente”, referiu a comissária em conferência de imprensa.

BE exige explicações do presidente do Tribunal de Contas

Entretanto, o relatório do Tribunal de Contas (TdC) que imputa responsabilidades ao anterior governo PSD/CDS pela actual crise na Caixa está a ter reflexos na vida política nacional e o Bloco de Esquerda exige explicações.

O deputado bloquista Moisés Ferreira anunciou um requerimento para ouvir o presidente do TdC na Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da CGD.

“A intenção da audição é muito simples e tem a ver com o relatório sobre o controlo que é feito pelo Estado ao seu sector empresarial e que demonstra que o anterior Governo (PSD/CDS), apesar de ter estabelecido algumas metas estratégicas, nunca fez o controlo sobre se essas metas estavam a ser atingidas e que medidas estava a CGD a implementar para atingi-las”, refere Moisés Ferreira citado pela Agência Lusa.

O ex-primeiro-ministro Passos Coelho rejeita qualquer falta de transparência no controlo da CGD entre 2013 e 2015, destacando um “nível de auditoria com profundidade e exigência muito maior” do que no passado.

Também a antiga ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, considera, em declarações divulgadas pela TSF, que as críticas apontadas no relatório não fazem sentido, realçando que as actividades da Caixa e de todos os bancos “estão sujeitas a um nível de escrutínio muito mais completo, muito mais exigente e rigoroso do que qualquer outra entidade do sector público empresarial”.

ZAP / Lusa

1 COMENTÁRIO

  1. Dá-se dinheiro a todos os vigaristas que por lá passaram e continua-se a dar salários exorbitantes mais outras benesses q podem acrescentar estes salários milionários ainda p/ o dobro !! Que incongruência… esta gentalha faz de nós os portugueses mais q Burros faz de nós LORPAS. Andam NITIDAMENTE a ROUBAR a quem já tem pouco, quando esses que ainda tem mas pouco nada tiverem vão tirar a TODOS mesmos aqueles q NADA TEM. Mas nessa altura já vai ser TARDE, vai acontecer o q está implantado na Venezuela e em Cuba. È isso q querem os portugueses??? ACORDEM

  2. Mas que solução “inteligente”: descer os juros dos depósitos, tornar créditos e serviços mais caros! Esquecem-se é que a CGD não é a única a operar no mercado e que o cliente é livre de escolher outro banco… Cheira-me que essa solução só irá prejudicar ainda mais as contas da CGD!

  3. Uma boa maneira da CGD perder clientes. Os clientes é que pagam os desmandos e negócios ruinosos dos administradores da CGD e seus lacaios?

    • Nem mais.
      Respondi a um comentador aqui ( que não percebo porque o ZAP não publicou ) , mas basicamente referia o que o senhor disse. Sou cliente Santander há 2 décadas, na altura ainda Totta, e tenho uma conta simples à ordem só para pequenos movimentos quotidianos, das despesas do dia-a-dia, pois bem, “metem a unha” como se não houvesse amanhã. Cobram por tudo e mais alguma coisa. Pelo que conheço, por via de pessoas amigas que tem contas noutros bancos, o Santander para esmifrar os clientes é mesmo do piorio. Estou a ponderar mandá-los às urtigas e abrir uma conta simples à ordem no banco ctt, ao menos estes não cobram nada sobre gestão de conta, cartão multibanco, etc.

  4. A Caixa vai virar Caixinha , vamos ver quando reembolsa o estado do MEU dinheiro que este lá vai meter , em pé de igualdade com outros bancos , acho que tem poucas hipóteses ! Viveu sempre sem preocupações , mal administrada e o resultado está à vista é um ELEFANTE BRANCO que não temos dinheiro para alimentar

  5. O pior é que não vai sair apenas caro aos clientes, vai sair caro a todos os contribuintes e dos 3,8 mil milhões que se falava para a reabilitação agora já se ouve falar em 5 mil milhões e penso que não irá ficar por aqui e isto para ficar uma caixinha de surpresas.

  6. Esta sim, a mancha negra da atual solução governativa, de facto, é um crime expoliar os portugueses de tanto dinheiro para o bolso de alguem que, não é um super gestor nem um super homem; mal do país se não tivesse, nas suas elites intelectuais nos vários domínios da gestão superior, pessoas altamente capazes de gerir a CGdeDepósitos com rigor e eficiência ao serviço do País.

  7. Que esperam os clientes da caixa para mudar de banco? O monte de esterco do presidente de barriga cheia ameaça os clientes de que vão pagaras despesas, por ser incompetente para gerir de outra forma. MUDEM DE BANCO.

  8. Pois olhem amigos, eu vou fazer ao contrário. Vou abrir conta na Caixa.
    Os problemas da CGD hoje têm muito que ver com decisões incompetentes de gente incompetente (e que deviam ser chamados a responder, fossem de que partido fossem), sem duvida, mas, também têm que ver com o facto da CGD ter sido o “bombeiro de serviço” a safar outros Bancos, privados, por via das injecções de capital que a CGD foi fazendo e que, compreensivelmente, lhe deram cabo das contas.
    A bem da verdade, trata-se objectivamente do Banco do Estado e, portanto, de todos nós. Também é verdade que cada vez mais a Banca está na mão de privados estrangeiros, essencialmente chineses, ingleses e espanhóis. Pessoalmente, o que eu puder fazer para salvaguarda dos nossos interesses (portugueses) irei fazer e abrir conta na CGD será de certeza uma delas, pois afinal, se todos fizerem continhas bem feitas, vão perceber que ao passarem para outros Bancos vão pagar tanto ou mais do que pagam na CGD.

  9. O Paulo Macedo tratou da saúde os portugueses da forma que se viu, agora quer tratar os depositantes da CGD da forma que o diz e eu vou-me tratar com uma mezinha que os meus avós me deixaram bem guardada. Ter dinheiro no banco para ser roubado, não muito obrigado…acabou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here